sexta-feira, janeiro 06, 2006

Minhas inquietudes

Inquieto é como me defino. Para muitas perguntas e poucas respostas, frustração é o resultado. Posso muito bem fazer como muitos, concordar com as respostas preestabelecidas e continuar a minha jornada. Porque parar para procurar respostas, que são incógnitas onde os maiores matemáticos da vida não encontraram o resultado? É muito simples, aceitar como enigma ou um código, onde poucos decifram, e quando decifram são considerados loucos ou alienados. É preço que pagam por irem contra o que está fundamentado ou encravado. Afinal de contas a que estou me referindo? Ao que sou, ao que somos, ao mundo. Somos reais e existe um propósito para nossa existência. É muito simples e ao mesmo tempo complexo. Onde não encontramos respostas colocamos uma placa com letras garrafais "MISTÉRIO". Não é querer se limitar, é ir até onde podemos ir. Estás disposto a tentar decifrá-lo? Prepare-se para a loucura, para uma viagem onde poucos trilharam e foram bem sucedidos. Por isso estou inquieto, aflito, porque sou uma incógnita, um enigma não decifrado.

Um comentário:

Nagel disse...

Legal, Vágner. Seja bem vindo.

E vida longa ao teu blog. Estarei sempre por aqui. Mantenha-o sempre atualizado e não se esqueça da singela publicidade!

Grande abraço meu amigo. Deus te abençoe muito.